Criolipólise

Rate this post

A nova moda entre os tratamentos estéticos do momento é a Criolipólise que vem sendo muito comentada nas redes sociais e utilizada por pessoas famosas, a promessa do tratamento é fazer você perder entre 20% a 30% da camada de gordura localizada.

Criada por cientistas de Massachusetts General Hospital e pesquisadores da universidade de Harvard nos Estados Unidos, a Criolipólise é um tratamento estético não invasivo que elimina a gordura localizada através de um processo de resfriamento controlado que não danifica a pele ou outros tecidos.

Mas será que essa promessa é verdadeira? Não tem efeitos colaterais? Funciona com todo mundo? O objetivo deste artigo é esclarecer estas dúvidas e te ajudar a escolher qual a melhor opção para perder essa gordura localizada que tento te incomoda.

Como é feito o tratamento

Durante o tratamento é necessário seguir os seguintes procedimentos:

O fisioterapeuta aplica um gel para proteger a pele. Depois posiciona o aparelho na região a ser tratada e este irá sugar e resfriar esta área até cerca de 10º C, por 1 hora, tempo necessário para congelar a gordura localizada;
A gordura se cristaliza, as células adiposas morrem e depois são eliminadas naturalmente pelo sistema linfático;

Após a sessão é realizada uma massagem local para uniformizar a área tratada.
É recomendado realizar pelo menos 1 sessão de drenagem linfática ou pressoterapia por semana para facilitar a eliminação de gordura e agilizar os resultados. No entanto não é necessário associar nenhum outro tratamento estético ao protocolo da criolipólise porque não existem provas científicas de que sejam eficazes. Assim, basta realizar a criolipólise e depois realizar as drenagens regularmente.

Quem não pode fazer a criolipólise

A criolipólise está contraindicada para pessoas com excesso de peso, obesidade, hérnia no local a ser tratado e problemas em relação ao frio como urticária ou crioglobulinemia, que é uma doença relacionada ao frio. Também não é recomendada para mulheres grávidas ou com alterações na sensibilidade da pele devido a diabetes.

A criolipólise dói?

A criolipólise pode provocar alguma dor quando o aparelho é posicionado na região a ser tratada e suga a pele, sendo que a sensação é semelhante a de um beliscão forte, mas ela desaparece em poucos minutos. Após a aplicação, a pele normalmente fica vermelha e inchada, e por isso, é indicado realizar uma massagem local para aliviar o desconforto e melhorar a aparência. A região tratada pode ficar dolorida durante as primeiras horas, mas isto não causa grande desconforto.

Quais os riscos da criolipólise

Quando o aparelho de criolipólise encontra-se desregulado ou quando é usado de forma inadequada pode haver queimadura grave, que necessita de avaliação médica, mas essa complicação é rara e mesmo que aconteça pode ser contornada.

Os resultados da criolipólise começam a surgir em cerca de 15 dias mas são progressivos e vão acontecendo em cerca de 8 semanas após o tratamento, que é o tempo que o organismo necessita para eliminar completamente a gordura que foi congelada. Após este período o indivíduo deverá voltar à clínica para avaliar a quantidade de gordura eliminada e então verificar a necessidade de se realizar uma outra sessão, se achar necessário.

O intervalo mínimo entre uma sessão e outra é de 2 meses e cada sessão elimina aproximadamente 4 cm de gordura localizada e por isso não é recomendado para pessoas que não estão dentro do peso ideal.

Preço e onde fazer a criolipólise

Cada sessão de criolipólise custa entre 500 e 700 reais por área de tratamento. As sessões de criolipólise estão disponíveis em clínicas de estética e consultórios médicos especializados nas grandes cidades. No Brasil, o aparelho regulamentado pela Anvisa é o Zeltiq, e o médico ou fisioterapeuta são os profissionais mais indicados para realizar a criolipólise.