Causas da queda de cabelo

Excesso de vitamina C

Quando o assunto é cabelo, a vitamina C costuma ser mais heróina do que vilã, na verdade. Ela ajuda a aumentar a absorção do ferro no nosso organismo (substância fundamental para a nossa saúde e para o bom crescimento dos fios).

Porém, o excesso de vitamina C pode aumentar a concentração de alguns fungos que agravam os quadros de caspa e ptiríase (problemas que podem causar a queda dos cabelos). Outras possíveis complicações são o aumento da chance de desenvolver pedras nos rins, problemas digestivos e aumento da acidez da urina (o que pode provocar irritações).

O excesso de vitamina C é ainda mais raro que o de vitamina dht queda de cabelo, porque o nosso organismo consegue eliminá-la com bastante facilidade. Porém, como ela é conhecida por ter muitos efeitos positivos, muita gente pode exagerar e consumir suplementos vitamínicos em doses altas demais (acima de 1.000 mg por dia).

O consumo regular de frutas, legumes e verduras frescos já deve ser suficiente para fornecer toda a vitamina C que o seu corpo precisa, sem risco de efeitos colaterais.

(Voltar para lista de causas)

10- Excesso de vitamina E

A vitamina E tem um poderoso efeito antioxidante, protegendo as células contra a ação dos radicais livres. Acredita-se que ela possa prevenir ou aliviar os sintomas de várias doenças, como a síndrome de Alzheimer, distúrbios cardiovasculares e até mesmo alguns tipos de câncer.

Mas apesar de todos os seus benefícios, é preciso evitar também o excesso da vitamina E, pois ela é capaz de “afinar o sangue” (efeito parecido com o da aspirina) e prejudicar a absorção de ferro (que é importante para a boa saúde dos cabelos).

As fontes naturais de vitamina E (óleos vegetais, amendoim, amêndoas, ovos, manteiga, algumas verduras) são frequentes na nossa alimentação normal, mas é muito difícil ter excesso da vitamina apenas através dos alimentos. Novamente, o maior perigo é a suplementação exagerada. Não são necessários mais do que 15 mg por dia, e doses acima de 250 mg são consideradas excessivas.

(Voltar para lista de causas)

11- Falta ou excesso de iodo

O iodo é um mineral fundamental para o funcionamento da tireóide. A sua falta ou excesso podem agravar quadros de hipotireoidismo ou hipertireoidismo, e ambos os problemas estão relacionados à queda de cabelo, portanto é importante manter os níveis de iodo bem equilibrados.

A deficiência de iodo é muito rara atualmente. Ele está presente em alguns alimentos que consumimos regularmente (como peixes e frutos do mar, ovos, leite e fígado), e também é inserido no nosso sal de cozinha. Baixos níveis de iodo costumam ser resultado de dietas muito restritivas, e níveis elevados normalmente acontecem devido a suplementação excessiva ou consumo exagerado de alimentos como algas e mariscos.

(Voltar para lista de causas)

12- Falta ou excesso de selênio

O selênio é fundamental para o crescimento dos queratinócitos (células que formam os fios de cabelo), e também pode melhorar os quadros de caspa (uma das possíveis envolvidas nos quadros de queda). Ele é encontrado nos grãos (trigo, arroz, milho), peixes e frutos do mar, fígado, carnes e aves, mas nenhuma dessas fontes supera a castanha do pará, que é riquíssima em selênio.

Vale inclusive um alerta: evite consumir mais do que duas ou três castanhas por dia, pois o excesso de selênio também pode fazer os cabelos caírem. Cuidado também com os suplementos, que podem acabar elevando as taxas muito acima do nível ideal.

(Voltar para lista de causas)

13- Falta ou excesso de zinco

O zinco participa do processamento das proteínas no nosso corpo e da síntese do DNA, duas funções importantes para a reprodução das células no folículo capilar. Ele também é utilizado na produção dos hormônios da tireóide, e em alguns casos o tratamento do hipotireoidismo pode não resolver a queda de cabelos até que os níveis de zinco sejam normalizados.

O zinco também é importante na produção da testosterona, mas parece ter algum efeito inibidor na conversão do hormônio em di-hidrotestosterona, a versão que é responsável pela dht queda de cabelo. Ou seja, é possível que quem sofre com a calvície clássica também possa se beneficiar com a melhora dos níveis de zinco no organismo.

Algumas fontes naturais de zinco são as ostras, carne vermelha, fígado, ovos, castanhas, mariscos, camarões e alguns produtos de soja. Quem não atinge os níveis recomendados apenas através da alimentação pode se beneficiar de suplementação de zinco, mas é preciso cuidado porque o excesso pode prejudicar a absorção de outros nutrientes, como o ferro e o cobre, e acabar piorando a queda de cabelo.

Panetone e sua história

O panetones lucrativos é um alimento tradicional da época de Natal, de origem milanesa, do norte da Itália. Várias lendas tentam explicar a sua origem. O pão doce de natal possui fragrância discreta de baunilha e recheio de frutas secas, tais como damasco, laranja, limão, figo, maçã, cidra e a uva passa.

Apesar de geralmente ser associado à cultura milanesa, tendo a forma alta e mais fina, há também o panetone piemontês, diferente apenas por ser mais largo e redondo.

De tão tradicional no Brasil, o panetone parece ter sido inventado aqui mesmo. Mas não foi. O pão amplamente consumido no Natal foi criado em Milão, na Itália, graças ao “erro” de um padeiro. A lenda em torno de sua criação.

Tradicional iguaria consumida na época do Natal, o panetone é um pão doce, recheado de frutas secas (uvas passas e frutas cristalizadas). Tem fragrância de baunilha. Sua consistência macia é resultado de um processo de fermentação natural.

A origem do panetone é um mistério. Existem várias lendas sobre sua origem, com uma descrição em comum: o Panetone tem origem em Milão, na Itália.

Segundo uma das lendas, o panetone foi criado por um padeiro chamado Toni, que trabalhava na padaria Della Grazia, em Milão, na época de Ludovico, o Mouro (1452 – 1508). O jovem padeiro, apaixonado pela filha do patrão, teria inventado o pão doce para impressionar o pai de sua amada. Os fregueses passaram a pedir o “Pani de Toni”, que evoluiu para o “panattón” (vocábulo milanês), e depois para “panettone” (italiano).

Segundo outra lenda, o panetone foi inventado na corte de Ludovico, o Mouro, na véspera do Natal, entre os anos de 1494-1500. Conta a lenda que o Natal era uma grande festa celebrada com grandes banquetes. Em um dos Natais, a sobremesa que havia sido preparada queimou ao ser assada. Um dos empregados da cozinha, chamado Antonio, havia preparado uma massa com sobras de ingredientes, que pretendia levar para sua casa. Sem outra opção, ofereceu sua massa para servir como sobremesa para a corte. De acordo com a lenda, a sobremesa foi tão apreciada que Ludovico perguntou qual o nome da iguaria. O jovem Antonio, chamado para responder a pergunta de Ludovico, disse que a sobremesa não tinha nome. Ludovico resolveu chamá-la de “Pani de Toni”, dando origem ao nome.

Outra lenda diz que o panetone foi inventado no século III d. C. Á princípio, segundo essa versão, teria a forma de um pão grande.

Atualmente, o panetone é comercializado em unidades, geralmente de 500 gramas. Nas últimas écadas, surgiram inúmeras variedades de recheios de panetone (Chocotone, Colomba Pascoal, Sorvetone, etc.).

São Paulo – De tão tradicional no Brasil, o panetone parece ter sido inventado aqui mesmo. Mas não foi. O pão amplamente consumido no Natal foi criado em Milão, na Itália, graças ao “erro” de um padeiro.

A lenda em torno de sua criação remonta ao ano de 900 e diz que o humilde assistente de padeiro Toni, após ter trabalhado horas a fio na véspera de Natal, precisava ainda assar mais uma fornada de pães e preparar uma torta para seu chefe.

De tão exausto que estava, confundiu-se e colocou as uvas passas da torta na massa de pão.

Desesperado, tentou salvar a situação jogando frutas cristalizadas, manteiga, ovos e os demais ingredientes do recheio que seriam usados originalmente na torta. Toni assou a mistura e entregou para o patrão.

O que o assistente não esperava era que sua criação fizesse sucesso durante a ceia de Natal de seu chefe, que, além de elogiá-lo, decidiu homenageá-lo e dar o nome à massa de “pane di Toni” (“Pão do Toni”, na tradução do italiano). Com o passar do tempo, o bolo começou a ser chamado de panetone.

Como toda boa lenda, a origem do panetone possui várias versões, mas todas elas têm Toni como denominador comum. A chegada dos imigrantes italianos no Brasil após a II Guerra Mundial trouxe o panetone para o país. A Bauducco diz que o fundador na empresa, o italiano Carlo Bauducco, começou a vender o produto aqui a partir de 1948.

A confecção do panetone clássico na Itália é tão levada a sério que em 2005 passaram a ser especificados por lei os ingredientes e os percentuais mínimos que devem ser utilizados para que o bolo possa ser classificado como panetone. Em entrevista à ANSA, a Bauli, umas das mais tradicionais empresas no ramo de panetones na Itália, explicou que o decreto determina que sejam utilizados “farinha, sal, açúcar, ovos, nata e frutas cristalizadas, cuja quantidade não pode ser inferior a 20%”. Sem frutas – Na Itália, além do panetone, o pandoro também disputa a preferência no paladar italiano durante o Natal. Essa variação, criada em Verona, é similar ao panetone, mas não leva frutas.

No entanto, apesar de serem ambos tradicionais, o panetone acaba sendo o mais procurado. “O panetone é certamente o mais popular”, afirma o confeiteiro Carlo Pozza, da padaria Da Venicio, em Vicenza, na Itália. As “invencionices” brasileiras, como panetones de doce de leite, que fogem do tradicional, também podem ser encontrados na Itália. “Nos últimos tempos, os confeiteiros começaram a oferecer panetones com ingredientes diferentes, como pistache, fruta fresca, limoncello (espécie de licor de limão), chocolate, cerveja ou vinho doce”, disse à ANSA o especialista Davide Polini.

“Esses panetones servem para estimular as vendas, levando a clientela a provar gostos diferentes”, afirmou o mestre confeiteiro Murizio Busi, da Pasticceria Paola, em Ferrara, na Itália. “Mas, em minha opinião, os tradicionais são sempre melhores”, afirmou o mestre, que também faz parte da Accademia Maestri Pasticceri Italiani, associação que reúne importantes expoentes da confeitaria do país. Nos últimos anos, também foram introduzidos no mercado italiano os panetones salgados.

É possível encontrar versões com alcaçuz e açafrão, tartufo, gorgonzola e até mesmo o “panetone pizza”. Lançado em Nápoles, leva ricota doce, flocos de frutas e de chocolate cristalizados colocados sobre a massa tradicional de pizza. O bolo milanês inspirou até mesmo o “Cocktail Panettone”, bebida para os brindes de fim de ano. Industrial x Artesanal – No Brasil, já se pode encontrar há algum tempo panetones artesanais. Algumas padarias, por exemplo, tiram de seus próprios fornos sua produção dos bolos natalinos.

Na Itália, apesar de serem um pouco mais difundidos e apreciados, são os industriais que ganham na preferência dos consumidores. “Em 2008, foram vendidos na Itália 100 milhões de panetones, mas somente 20% eram artesanais”, explica o confeiteiro Iginio Massari, da Pasticceria Veneto, em Bréscia, no norte da Itália.

Por outro lado, o confeiteiro Maurizio Busi acredita que a matéria-prima dos panetones artesanais é melhor. “O frescor, a riqueza dos ingredientes, a personalização e a busca pelos melhores ingredientes, além das habilidades do confeiteiro, fazem toda a diferença”, acredita. O panetone é tão amado na Itália que foi criado o projeto “Panettone tuttol’anno” (“Panetone o ano todo”). Idealizado pelo “gastronauta” Davide Polini, propõe que o panetone seja vendido constantemente.

“Por que só no Natal? O panetone pode ser consumido em todas as estações. Acho um absurdo que se deva comê-lo somente nesta época do ano”, disse. Polini já comeu panetone inclusive no verão, “na praia, embaixo de um guarda-sol, acompanhado de sorvete”. E aqui, será que a moda pega?

1 kg de farinha de trigo peneirada
3 ovos (grandes)
1 copo (americano) de açúcar
1 pitada de sal
2 colheres (sopa) de manteiga ou margarina
250 ml de leite morno
50 g de fermento biológico
300 g de frutas cristalizadas (ou cubos de chocolate)
250 g de uva passa (de preferência sem sementes)
20 ml de essência de panetone (opcional)
raspas de 1 limão

Veja também: panetones lucrativos

O longo caminho de Três Grandes
Pães medievais até o Panetone
“Panetone” vem de Pão de Toni?? De acordo com esta entrada terminológica, Toni, um humilde ajudante de cozinha de Ludovico o Mouro, seria o inventor de um dos doces mais característicos da tradição italiana. Eis a história: na véspera de Natal, o cozinheiro-chefe de Sforza queimou o doce preparado para o banquete ducal. Toni, então, decide sacrificar o pão de levedura-mãe que tinha reservado para o seu Natal. Ele o prepara bastante com farinha, ovos, açúcar, uvas passas e frutas cristalizadas, até obter uma massa macia e muito levedada. O resultado é um sucesso estrondoso, que Ludovico o Mouro chama de Pão de Toni, em homenagem ao criador.

A primazia de Toni não é assim tão pacífica O empreendedor ajudante de cozinha disputa com outros criadores da confeitaria, entre os quais se destacam Ughetto degli Atellani e a Irmã Ughetta. No entanto, o lugar da disputa não é na história e sim no imaginário colectivo: a história de Toni e as outras são lendas criadas entre o fim do século XIX e início do XX para ilustrar ainda mais o que já era orgulho da gastronomia de Milão. Ughetto e Ughetta, entre outras coisas, são nomes ligados à palavra milanesa para uva passa: ughett.

A verdadeira origem do panetone deve ser procurada no costume difundido na época medieval de celebrar o Natal com um pão mais saboroso que o de todos os dias. Um manuscrito tardio do século XV de Giorgio Valagussa, preceptor da casa Sforza, atesta o costume ducal de celebrar o chamado rito do tronco. Na noite de 24 de dezembro colocava-se um grosso tronco de madeira no caminho e, enquanto isso, eram levados à mesa três grandes pães de trigo, matéria prima de grande valor na época. O chefe de família servia uma fatia para todos os comensais, reservando uma para o ano seguinte, como símbolo de continuidade.

Outra realidade histórica sugere a origem do panetone de um grande pão de trigo do Natal: até 1395 todos os fornos de Milão (exceto o pertencente aos Rosti, fornecedor das pessoas com maior poder aquisitivo) tinham permissão de cozinhar pão de trigo apenas no Natal, Como homenagem aos seus clientes habituais. O costume de comer pão de trigo no Natal, no entanto, é muito antiga. Não é de admirar-se, porque muitas outras cidades italianas e europeias compartilham o costume de pão enriquecido na época de festas. No entanto, apenas em Milão se tornou panetone.

Desta longa evolução, algumas fases estão documentadas. Em 1606, de acordo com o primeiro dicionário milanês-italiano (Varon milanes), o Panaton de Danedaa era um Pão Grande, que é feito geralmente no dia de Natal, como Metáfora um inepto [sic], preguiçoso, recente. Francesco Cherubini nos dá uma descrição mais rica no seu célebre Vocabulário milanês-italiano em cinco volumes (publicado entre 1839 e 1856; o terceiro volume M-Q é de 1841). O Panattón ou Panatton de Natal como uma Spe[cie] de pão de trigo decorado com manteiga, ovos, açúcar e uvas passas (ughett) ou sultana, com a adição de amêndoas na massa quando cozida e que resulta com muitas pontas. Grande e de uma ou mais libras, costumamos fazê-lo apenas no Natal, de massa igual ou similar mas em panellini. É feito todos os anos nas festas e é chamado Panattonin – Na zona rural, por outro lado, o Panatton costuma ser de farinha de grão turco e enriquecido com pedaços de maçãs e sementes de uva.

A primeira fonte a falar de levedado, no entanto, é de 1853: o Novo cozinheiro milanês económico, livro de receitas de Giovanni Felice Luraschi. As frutas cristalizadas (de cidra) aparecem no Tratato de cozinha, confeitaria moderna (1854) de Giovanni Vialardi, cozinheiro dos governantes sabaudi. A presença do panetone em um livro piemontês do século XIX prova a antiguidade da difusão deste doce na região escolhida pela Flamigni como sede das suas instalações de produção.

Colorimetria Capilar

A colorimetria é a ciência que estuda as cores e se torna capilar quando o assunto são os cabelos, com suas combinações de cores, composições de cores, neutralizações de cores e contrastes. A colorimetria capilar é um dos conhecimentos mais utilizados pelos cabeleireiros e aprender a domina-lo com sabedoria é de extrema utilidade para quem está começando na profissão.

No artigo de hoje falaremos um pouco sobre colorimetria capilar, quais são as cores primárias, secundárias, terciárias, quentes, neutras, frias, como utilizar a estrela de Oswald, alturas de tons, etc.

Colorimetria capilar- as cores primárias

As cores primarias ou também denominadas fundamentais, são o azul, vermelho e amarelo. São as cores primarias que dão origem as demais. A soma destas três cores é o marrom.

Você Sabia?!

Você sabia que é possível fazer um curso de cabeleireiros com certificado através da internet? Clique Aqui para se tornar um cabeleireiro profissional em 3 passos.​

Colorimetria capilar– as cores secundárias

As cores secundárias, ou também denominadas complementares são o resultado da mistura das cores primárias, mas em proporções iguais, são elas o verde, o alaranjado e o roxo. Estas três cores são resultantes das seguintes misturas:

Curso de Cabeleireiro à Distância e Com Certificado
Azul + amarelo = verde

Vermelho + azul = roxo

Amarelo + vermelho =alaranjado

Colorimetria capilar- as cores terciárias

As cores terciárias são originadas da mistura de cores, sejam elas secundarias ou primárias, e em proporções variadas.

Colorimetria capilar- cores quentes

As cores também são classificadas conforme a vibração. As cores quentes são as com base no vermelho, laranja e amarelo, e reflexos róseo, acaju, dourado, vermelho, acobreado. São cores que quanto utilizadas nos dão a impressão de expandir as formas, e também aproximar.

Colorimetria capilar- cores frias

São as cores com base no azul, verde, violeta e cinza. São cores que quando utilizadas nos passam a impressão de reduzir e distanciar as formas.

Colorimetria capilar- cores neutras

Geralmente utilizadas para produzir fundos, porque são pouco visíveis e vibrantes, estas cores são o resultado da mistura dos tons frios e dos tons quentes.

Colorimetria Capilar- altura de tom

A altura de tom dos cabelos está descrita em uma tabela universal de cores, que classifica o cabelo conforme o seu tom, seja ele natural ou artificial.

A tabela contem nove tons, que são claros, escuros e médios. A altura de tom na caixa de tinta é indicada pelo primeiro número impresso na caixa, como 6 por exemplo que indica que a tintura é loiro escuro. Confira os números correspondentes a altura de tom:

altura de tom 1 corresponde ao preto

altura de tom 2 corresponde ao castanho escuríssimo

altura de tom 3 corresponde ao castanho escuro

altura de tom 4 corresponde ao castanho

altura de tom 5 corresponde ao castanho claro

altura de tom 6 corresponde ao loiro escuro

altura de tom 7 corresponde ao loiro médio

altura de tom 8 corresponde ao loiro claro

altura de tom 9 corresponde ao loiro muito claro

Colorimetria capilar- cores reflexo

Além da altura de tom os cabelos ainda poderão ter uma cor reflexo. Nas caixas de tinta estas cores reflexo são identificadas pelo número que vem depois da altura de tom, após a vírgula ou ponto. Ex: 6.1 corresponde ao loiro escuro acinzentado- onde loiro escuro é altura de tom e o acinzentado a cor reflexo. Para as cores reflexo também existe uma tabela, padronizada, confira:

A cor reflexo cinza corresponde a numeração 1 após a vírgula ou ponto

A cor reflexo irisado corresponde a numeração 2 após a vírgula ou ponto

A cor reflexo dourado corresponde a numeração 3 após a vírgula ou ponto

A cor reflexo acobreado corresponde a numeração 4 após a vírgula ou ponto

A cor reflexo acaju corresponde a numeração 5 após a vírgula ou ponto

A cor reflexo vermelho corresponde a numeração 6 após a vírgula ou ponto

A cor reflexo esverdeado ou mate corresponde a numeração 7 após a vírgula ou ponto

Colorimetria capilar- neutralização de cores

Este é um procedimento que gera muitas dúvidas entre os profissionais, consiste em anular uma cor, trazendo para o tom neutro (marrom), utilizando outra ou outras cores. Para que o cabeleireiro se oriente, quanto as cores que anulam umas as outras, existe a tabela de Oswald para consultar, esta poderá até ser encontrada em catálogos de tinta que informam direitinho as nuances que neutralizam umas as outras.

Colorimetria capilar- Estrela de Oswald

estrela de oswald

Colorimetria capilar- dicas

A prática e experiência do cabeleireiro são muito importantes nestes processos pois estes sabem perfeitamente que nuance e em que quantidade, ou intensidade, se deve utilizar para alcançar uma cor que para neutralizar outra.

Dica legal para quem está começando no ramo é fazer tais misturas de cores utilizando tinta guache, e ainda, antes de partir com seus conhecimentos para os cabelos de alguém, fazer as neutralizações de cores, com tintura apropriada, em mechas descartadas pelas clientes, que sobram de cortes que você executou, dá para brincar muito com as cores. Para praticar e aprender sobre a intensidade das cores, que você deverá aplicar nas madeixas, adquira as tinturas mix, mixtons, estas são os pigmentos puros de tinta de cabelo nas cores violeta, amarelo, azul, verde, vermelho, alaranjado, vá acrescentando á tinturas de cor base (somente altura de tom, sem reflexo) para fazer os experimento.

Guia para iniciantes: como começar a correr

Guia para iniciantes: como começar a correr

Fortalecer os músculos, intercalar corrida e caminhada e alongar-se são medidas essenciais para praticar o esporte

Correr faz bem para a saúde em diversos aspectos. A modalidade aumenta o condicionamento físico, fortalece os músculos, ajuda a emagrecer, combate a insônia, auxilia no controle do colesterol e previne a osteoporose. De quebra, inunda o organismo do corredor com endorfina, hormônio que causa sensação de bem-estar. Para obter esses benefícios, no entanto mizuno prophecy, é preciso tomar alguns cuidados. Se uma pessoa não estiver preparada para correr, pode desenvolver lesões ou, pior ainda, agravar problemas cardíacos pré-existentes.

Pessoas sedentárias ou com doenças crônicas, como hipertensão e diabetes, devem fazer um teste ergométrico antes de começar a correr. “O exame é uma avaliação cardiológica feita por um teste de esforço, para identificar como o organismo reage ao exercício. Dependendo do resultado, algumas pessoas podem precisar de acompanhamento médico para praticar a corrida”, afirma o educador físico Bruno Gualano, professor da Universidade de São Paulo (USP).

Leia também:

Qual é o limite da corrida?

Corrida ajuda a preservar habilidades cognitivas na meia-idade, diz pesquisa

Largada – A preparação também inclui um trabalho de fortalecimento muscular, principalmente nas pernas e na região do core, que compreende o abdômen e a lombar. De acordo com Paulo Correia, fisiologista da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), a cada salto que se dá na corrida, uma perna precisa suportar duas vezes o peso do corpo. “Caso a pessoa não se prepare adequadamente, podem surgir problemas crônicos na coluna, joelhos e tornozelos”, diz.

Com a musculatura reforçada, é hora de começar a correr, mas gradativamente. A maneira mais eficiente é alternar caminhada e corrida e manter a rotina de treino. Correr 15 minutos cinco vezes por semana ou trinta minutos três vezes podem surtir efeito em apenas quinze dias.

1. Fortalecer a musculatura
Os músculos das pernas e do core, região que compreende o abdômen e a lombar, são os mais utilizados durante a corrida. Por isso, precisam ser exercitados para evitar lesões nas articulações, tendões e ligamentos. “A corrida é um esporte de impacto. Músculos fortalecidos evitam lesões ortopédicas”, diz Rafael Baptista, professor da Faculdade de Educação Física e Ciências do Desporto da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). A falta de fortalecimento pode causar lesões agudas ou crônicas que afastam o praticante da corrida.

2. Escolher um tênis adequado
O melhor tênis para a corrida, principalmente para quem está começando, não é o mais caro da loja. Prefira modelos com solado macio para absorver o impacto e, assim, evitar lesões nas articulações, principalmente no joelho.

3. Começar pela esteira
Para quem nunca praticou a corrida, a esteira pode ser a porta de entrada para a modalidade. Em comparação com a rua, o equipamento facilita a prática por absorver parte do impacto e ditar o ritmo. “Correr na rua é mais difícil devido ao solo duro, a resistência do vento e fatores ambientais como temperatura”, diz Rafael Baptista. “A pessoa pode começar a correr na esteira, e gradativamente, com a orientação de um profissional de educação física, passar para a rua.”

4. Intercalar caminhada e corrida
A maioria das pessoas não tem preparo físico para correr assim que começa a praticar o esporte, por isso deve fazer uma transição gradativa da caminhada para a corrida. “Intercalar um pouco de corrida com caminhada fará o praticante adquirir condicionamento músculo esquelético e cardiorrespiratório mais eficientemente”, diz Flavia Meyer, médica do esporte e professora da Escola de Educação Física da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (URFGS). Os primeiros treinos devem priorizar a duração, não a intensidade.

5. Treinar no mínimo três vezes por semana
A frequência de treinamento deve ser contínua para o praticante avançar no esporte. Se o treino for realizado todos os dias por 15 minutos, em uma semana será possível notar uma evolução. Caso a pessoa corra três vezes por semana, os resultados começam em 15 dias. Tanto a musculatura quanto o sistema cardiopulmonar conseguem se adaptar mais mizuno prophecy rapidamente ao esporte se a frequência for constante.

6. Alongar-se
Fazer no mínimo três sessões de alongamento por semana melhora a mobilidade articular e a flexibilidade, evitando o aparecimento de lesões. “Quem corre deve conseguir colocar o pé em cima de uma mesa, com as duas pernas estendidas e o pé de apoio virado para o móvel, sem sentir dor”, diz Paulo Correia. “Essa condição é sinal de que a pessoa tem a flexibilidade mínima necessária para praticar o esporte sem muito risco de lesão.”

7. Não ultrapassar os limites
Exagerar na intensidade da corrida não é a melhor forma de começar na modalidade. O excesso pode causar lesões nas articulações e fadiga extrema. “O ideal é estabelecer o limite de 70% da frequência cardíaca máxima”, diz Paulo Correia, fisiologista da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Pode parecer monótono no começo, mas, conforme os treinos evoluem, a pessoa consegue correr num ritmo forte sem que a frequência cardíaca suba tanto.

Dicas para cuidar das suas orquídeas

Se você ainda não entende muito do assunto, seguindo essas dicas simples você garantirá que a sua orquídea fique linda e sempre com uma aparência viva e pro fim aprenderá como cuidar de orquídeas! O principal é escolher bem onde deixar e regar corretamente. Vamos lá:

LuminosidadeRegas: Evite o excesso de água. Mais orquídeas morrem por serem molhadas demais do que de menos! Se suas raízes ficarem “afogadas”, elas ficarão sem oxigênio e os fungos as destruirão. Uma boa frequência de regas costuma ser de 2 a 3 vezes por semana, mas isso vai depender da época do ano. Para ter certeza, é sempre recomendável enfiar o dedo no substrato e sentir a umidade. Só molhe quando o substrato já estiver seco. Quando for regar, molhe até a água começar a escorrer por baixo do vaso. Ah, e não regue pelo pratinho. Além de proliferar o mosquito da dengue, a sua orquídea ficará afogada.
Luminosidade: Não deixe o vaso em um local escuro, pois a orquídea ficará com folhas escuras, que depois clarearão, até morrer. Também não deixe o vaso em um local com muito sol direto, pois as folhas poderão queimar ou ficar amareladas. Os melhores lugares são aqueles com boa iluminação natural difusa, ou em locais com o sol da manhã (por algum motivo o efeito não é o mesmo com o sol da tarde). O local perfeito é sem dúvidas debaixo de uma árvore, habitat natural da maioria das orquídeas.
Vaso: Prefira os vasos de barro. Estes vasos são mais porosos, e mantém melhor a umidade. Normalmente as orquídeas compradas em mercados vêm em vasos plásticos devido ao menor custo e mais facilidade de transporte, mas nada impede que você às mude de vaso.
Adubos: O esfagno (musgo), a casca de pinus, a fibra de coco, ou mesmo o extinto xaxim, liberam nutrientes aos poucos para as raízes da orquídea. Mesmo assim, um complemento é sempre desejável. Procure adubos específicos para orquídeas nos supermercados ou centros de jardinagem. Existem tanto os que podem ser pulverizados nas folhas quanto os que são aplicados no vaso na forma mineral ou orgânica, mas obedeça a dose recomendada pelo fabricante do adubo. Exagerar no adubo mata a sua orquídea por excesso de sais.
Pragas: São poucas as pragas e doenças que atacam orquídeas. O que costuma incomodar mais são as cochonilhas e pulgões, que são pequenos insetos que sugam os nutrientes das folhas. Para os pulgões, você pode borrifar uma mistura de água e detergente de louça, ou mesmo pequenas doses de inseticidas de base água. Já as cochonilhas precisam ser removidas manualmente, raspadas com uma escova de cerdas macias debaixo d’água.
Cochonilhas em folhas de orquídeas.
Cochonilhas em folhas de orquídeas. Remova com uma escova de dentes debaixo da torneira.
Renovando o vaso: Se o vaso estiver cheio, a planta estiver muito ramificada, e as raízes estiverem saindo demais pra fora do vaso, você deverá trocar para um vaso maior ou fazer a divisão da planta. Muitas orquídeas crescem com as raízes pra fora sem que estejam com falta de espaço, por isso, não confunda. Um dos melhores critérios é trocarmos o vaso quando o substrato já não estiver mais absorvendo a água das regas.
Se mesmo seguindo essas dicas a sua orquídea não floresce, leia o artigo “O que fazer com orquídeas sem flores“.

Pilates é bom para a saúde?

O Pilates é uma prática acessível a qualquer pessoa, de qualquer idade, pois respeita as capacidades e busca atender à necessidade individualcom o corpo de 21.

Todos os movimentos são feitos com precisão e rigor técnico e principalmente com propósito.

Como já dissemos, uma das principais vantagens do método é que ele pode ser praticado por todos: mulheres e homens, atletas e sedentários, pessoas saudáveis ou com alguma patologia.

Mas não só.

O Pilates também beneficia as pessoas que não podem realizar outros tipos de atividade, como idosos, gestantes, crianças e quem tem lesões musculares ou ósseas.

Para idosos, por exemplo, é normal que, com o avanço dos anos, haja perda da massa muscular e óssea, assim como aumento da gordura corporal, dos problemas cardíacos, respiratórios e de eventuais problemas de incontinência.

As quedas passam a ser mais frequentes e não são raros os quadros de depressão na terceira idade.

Pode parecer exagero, mas não é: o Pilates pode evitar e tratar tudo isso de uma vez só.

Assim como atua na recuperação do tônus e flexibilidade muscular, bem como no movimento seguro das articulações, o Pilates reforça o equilíbrio de seus praticantes, fatores fundamentais para fortalecer a saúde do corpo e evitar quedas.

Além de todo o trabalho corporal, a prática estimula o bem-estar mental dos idosos, aumentando sua autoestima e a sensação de serem capazes de realizar exercícios físicos e as atividades regulares do dia a dia.

Citando um outro benefício do Pilates, lembramos do equilíbrio, que é uma das várias funções do corpo humano que compreende a interação de três sistemas perceptivos: o vestibular, o proprioceptivo e o visual.

Concluímos então que o Pilates é uma atividade física que oferece os mais diversos tipos de benefícios, seja para qualquer idade ou qualquer que seja o objetivo.

O método sempre pode alcançar mais do que apenas o objetivo proposto, pois oferece muitos ganhos para quem o pratica.

Pilates Emagrece? Mito ou verdade?

Essa é uma pergunta muito frequente dentro dos Studios de Pilates, por alunos já praticantes e por pessoas que estão pensando em adotar o Método como forma de emagrecimento.

Se o Pilates emagrece ou não, vai depender muito da forma como ele será ministrado durantes as aulas, porém devemos lembrar que como atividade física, ele sempre terá um gasto energético considerável.

Uma das frases de Joseph Pilates que se encaixa muito bem nesse contexto é a que ele diz “Não interessa o que você faz, e sim como você faz”.

Associado com a prática de Pilates, também é necessário em conjunto um programa aeróbico, assim como uma dieta balanceada para que os efeitos na balança comecem a surgir de forma mais rápida e eficaz.

Com a prática do Método Pilates, o aluno tem seu metabolismo acelerado pois os órgãos internos são estimulados e estes melhoram nosso funcionamento de modo a ficar mais rápido às respostas do organismo.

Algumas mudanças no corpo podem ser notadas com o início da prática de Pilates.

Dentre elas podemos citar o fortalecimento dos músculos das pernas e dos braços, assim como um estreitamento no diâmetro da cintura e modelação do glúteo.

Todas essas mudanças positivas no corpo não necessariamente indicam que o indivíduo emagreceu, contudo, pesam no fator psicológico, que por si também influencia no fator emagrecimento.

A intensidade da aula e a periodização do treino são os fatores fundamentais para definir o emagrecimento na aula de Pilates.

Se a aula for inteiramente dedicada à apenas perda de peso, o aluno pode chegar a eliminar até 420 calorias em uma só sessão se a mesma for de alta intensidade.

O instrutor de Pilates, no entanto, tem um papel muito importante na hora de elaborar o plano de aula, e o conteúdo a ser ministrado, assim como motivar seu aluno com dedicação e determinação, propondo a cada aula novos exercícios, para que o aluno se sinta desafiado a cumpri-los.

Cabe ao instrutor que queira utilizar a aula de Pilates com o intuito de perda de peso, se utilizar ainda de acessórios e materiais tais como as tonning balls, e também os pesos livres, trabalhando a musculatura do corpo de forma integral e fluida.

Lembrando que alguns destes acessórios não foram criados por Joseph Pilates, mas sem dúvida auxiliam muito se o alvo for emagrecimento.

A meta será sempre para que o aluno consiga ver resultados após determinadas sessões.

Saiba Tudo Sobre Menopausa – Sintomas e Tratamento

A menopausa é o nome do período da última menstruação da mulher. O principal sintoma da menopausa é justamente a parada da menstruação e a chegada dela é marcada pela irregularidade do ciclo menstrual, além do climatério (calorões), secura vaginal, dores de cabeça, variações de humor e uma série de outros fatores consequentes.

O inicio da sobrevivendo a menopausa acontece em geral entre os 45 e 55 anos. A partir dessa idade os ciclos de ovulação e de menstruação passam a ser encerrados gradativamente porque acaba a quantidade de ovários disponíveis no organismo feminino, com isso, o corpo também para de produzir estrogênio e progesterona.

O período de transição da fase reprodutiva para a fase não reprodutiva é denominado climatério. É nessa fase que o organismo da mulher está se adaptando as novas condições, podendo gerar alguns desconfortos. Alguns especialistas classificam essa fase como pré-menopausa ou climatério.

Sintomas da menopausa

SINTOMAS DA MENOPAUSA

Diminuição, irregularidade e ausência da menstruação;
Insônia;
Mudanças hormonais bruscas;
Cansaço excessivo;
Desconforto vaginal durante relação sexual;
Diminuição ou perda da libido;
Diminuição do foco e da memória;
Insônia;
Ondas de calor;
Suor noturno;
Ganho de gordura corporal, principalmente na região do abdômen;
Osteoporose;
Aumento do risco de doenças cardiovasculares;
Depressão;
Acumulo de gordura abdominal;
Ansiedade;
Secura vaginal;
Queda de cabelo;
Sudorese noturna.
Sintomas da menopausa

Já que os sintomas podem afetar a mulher física e psicologicamente nessa fase, especialistas recomendam um trabalho em conjunto com profissionais da ginecologia, psicologia, cardiologia entre outros, caso seja necessário para minimizar os sintomas. A sobrevivendo a menopausa pode ser mais branda ou muito severa dependendo do caso, por isso o acompanhamento mais atencioso é necessário.

No período da menopausa, a mulher continuará a consultar o médico ginecologista normalmente e fará os tratamentos e exames necessários com outros especialistas.

5 formas de parar de enrolar e escrever seu livro

5 formas de parar de enrolar e escrever seu livro

Faz quanto tempo que você teve aquela ideia sensacional que motivou você a escrever um livro? Uma semana? Um mês? Um ano? Uma década? Seja lá quais foram as desculpas que você inventou para não começar a escrever até agora, chegou a hora de canalizar sua criatividade para tirar essa ideia da cabeça e começar a dar vida para sua história usano o textmachine do victor palandi.

Abaixo, 5 formas de parar de enrolar e escrever seu livro.

1. Comece fácil

Tudo o que você tem são algumas ideias mal acabadas sobre o que você quer escrever. Você ainda não tem muito claro quem são os personagens da sua história, como o enredo vai se desenvolver e muito menos como a narrativa vai terminar. Não tem problema. Não pense em tudo que você precisa fazer para completar o projeto inteiro. Pense apenas no primeiro passo que você precisa dar. Esse primeiro passo é muito simples: sente na frente do computador ou pegue papel e caneta e comece a escrever. Não racionalize, não julgue, não deixe para depois.

2. Entenda o porquê

Escrever um livro é um projeto que provoca medo e ansiedade. É por isso que você vem evitando começar. Será que essa ideia é boa mesmo? Será que eu dou conta de escrever uma história tão longa? Será que alguém vai se interessar em ler o que escrevi? Será? Será? Será? Essas inseguranças fazem parte do processo. Se elas vem paralisando você, se pergunte: Por que você quer escrever este livro? O que você acredita que tem para dizer de original sobre o tema da história? Entender suas motivações para escrever vão ajudar você a calar essa voz dentro da sua cabeça que segue tentando convencer você a desistir.

3. Foque no presente

Não seja tão duro com você mesmo. Ficar se menosprezando porque ainda não começou a escrever seu livro ou porque abandonou o projeto no meio do caminho não vai ajudar você em nada. Focar nas suas falhas e defeitos só vai fazer você sentir ainda mais medo e ansiedade para começar a escrever. Não importa o que impediu você de trabalhar na sua história até agora. O importante é que neste exato momento você está determinado a deixar suas desculpas de lado e colocar a mão na massa.

4. Dê um passo de cada vez

Pare de pensar quantas páginas você ainda precisa produzir para concluir sua história. Durante suas sessões de escrita, se concentre simplesmente na cena em que você está trabalhando naquele momento. Ao invés de pensar “ainda falta muito para eu terminar de escrever meu livro” pense “hoje eu só preciso terminar de escrever esta cena”. Para dar conta de projetos longos e complexos, foque sua energia em cada etapa do processo de criação.

5. Escute sua Resistência

Se nenhuma das dicas anteriores funcionar, preste atenção nas desculpas que você inventa para não escrever. Provavelmente são pensamentos do tipo “esse livro vai ficar uma porcaria”, “essa história precisa ficar perfeita”, “quem eu penso que sou para escrever um livro”, “vão achar que eu sou um babaca quando lerem isso aqui”. Se você acredita que essas justificativas são suficientes para você desistir, então pare de sofrer e desista. Caso contrário, chega de manha e vamos começar a trabalhar.

Como Escrever um Livro Rapidamente

1. Tome uma fabulosa ideia
Crepúsculo coverIf você quer escrever um livro de sucesso, é quase impossível exagerar a importância do seu conceito. Stephenie Meyer escreve perfeitamente boa, competente prosa -, mas sua idéia da história (garota comum se apaixona pela sexy vampiro), virou livro em um fenômeno cultural. Dan Brown, Stieg Larsson, de Stephen King são todos semelhantes: digno escritores abençoado com deslumbrante ideias de textmachine.

Agentes de saber isso e não importa o seu gênero – uma premissa forte é essencial para a venda de um livro. Dado quaisquer dois termos semelhantes manuscritos, agentes quase sempre escolher aquele com o sttongest conceito central.

Então, como você pode obter o seu gênio ideias?A resposta simples é que você provavelmente já tem. Seu assassino idéia pode ser germinar na sua cabeça, no momento, pode surgir a partir de uma paixão de vocês; ele pode sair de um livro que você ama.

Não é sobre a semente da idéia. É como você desenvolveu isso que conta.

Temos um vídeo brilhante gratuito nas ideias.

Nós dizemos a vocês por idéias importa tanto. Podemos testar se a sua ideia é boa o suficiente. E nós vamos mostrar a você como fazer melhor as suas ideias, mais forte e mais comercializável.

2. Construir-se uma intensa trama
Complô para explodir o mundo? Que vou fazer.O próximo grande essencial para qualquer romancista é uma história que simplesmente força o leitor a manter virando as páginas – e, felizmente, há regras definitivas sobre como conseguir isso. Os três crucial regras são:

A) Dar o protagonista de um grande desafio da vida muito cedo no livro e não resolver as coisas até o fim.

B) certifique-se que o risco aumenta. Por último trimestre ou de terceiro de seu romance, o protagonista tem a sensação de que tudo depende do resultado que se segue.

C) Se um capítulo específico não avançar a história de uma maneira específica, você tem que eliminar esse capítulo.

Parece simples? Bem, na verdade, os princípios não são tão difícil de entender, apesar de executar o aconselhamento pode um pouquinho mais complicado. Entretanto, sugiro que você vá para o assunto em um pouco mais de profundidade através do nosso principal plotagem conselhos, úteis para o acompanhamento conselhos e blogueiro convidado, Gary Gibson magnificamente iluminando sugestões sobre o que fazer quando você acertar um problema.

3. Próximo ingrediente: uma inesquecível personagem ou dois
Muito tempo depois, o leitor tem esquecido os detalhes de uma parcela, as chances são de que vai se lembrar da personagem que impeliu a isso. Duas coisas que você absolutamente tem que ter em mente ao construir seus personagens são:

A) certifique-se de que o caráter e a história de rejeição fora de si de maneiras interessantes. Assim, se, para tomar um estúpido exemplo, o seu personagem tem um grande medo de aranhas, as chances são de que a sua história vai ter a força de seu personagem para enfrentar os medos. Você tem que levar o seu personagem em sua zona de maior desconforto.

B) certifique-se de que você realmente, realmente saber o seu personagem. Afinal, é raramente as grandes coisas que fazem com que um personagem chiar com a vida (Amy é uma versão de 32, magro, de olhos azuis, varejo comprador – quem se importa?). São as pequenas coisas que fazem ela parecer humano (Amy tem uma paixão por Manhattan no inverno; ela caiu de um cavalo quando ela tinha 12 anos; ela recolhe um shell a partir de cada praia, ela já visitaram.) Se você deseja verificar se você conhece bem seu personagem o suficiente, nós sugerimos que você use a nossa última personagem builder.

Mais uma coisa, o que importa é onde você coloca a sua câmara. Você escreve na primeira pessoa? A terceira pessoa? Você tem um ponto de vista ou dois ou dez? Estes podem ser bastante complicados problemas e nós fortemente recomendamos que você confira este item em pontos de vista. Também (e isto é um pouco mais avançado) fazer check-out de Emma Darwin, sábios conselhos, sobre psíquica distância. (Emma é um dos nossos multa editores, mas esta página é a partir de seu próprio site, não o nosso.)

4. Não se esqueça de dar o seu personagem de alguma vida interior
Um dos problemas mais comuns que vemos é quando um personagem faz e diz todas as coisas certas … mas o leitor nunca sabe realmente o que ele ou ela pensa ou sente.

Se você não criar essa percepção sobre o caráter do textmachine, o livro vai deixar de participar o seu leitor, porque o que a visão é a razão por que as pessoas lêem. Afinal, se você só quer ver explosões, você vai ir e assistir a um filme de james Bond. Se você quer sentir como é ser o James Bond, enquanto as coisas estão indo bang, então você não tem alternativa, mas ler os romances.

Este personagem insight é uma das coisas mais simples para um romancista para fazer. Você só precisa lembrar-se de que o seu protagonista tem um rico mundo interior – e você precisa informar-nos sobre ele. Não apenas o bland coisas do cotidiano (“Mike sentiu fome, então ele se sentou para comer”), mas as coisas que o tornam único e diferente. Obter mais interior mundano conselhos.

5. Dramatise, dramatise, dramatise!
Seu trabalho como escritor é mostrar a ação se desenrolando na página, os leitores não querem apenas um terço da mão de relatório do que apenas aconteceu. Isso significa que você precisa dizer o momento por momento, como se estivesse testemunhando o evento. Considere a diferença entre este:

Ulfor viu o descendente espada apenas em um borrão de prata e negro contra o céu. Ele gira seu ombro, em um esforço para escapar, na esperança de que a armadura na sua volta seria orientar a lâmina de forma inofensiva de distância. Mas o espadachim acima, um moreno pouco troll com os dentes amarelos e cuspir um sorriso, foi muito rápido, muito ágil .. [etc. Esta forma de narração é conhecido como “mostrando”]

Dieta detox para emagrecer rápido

Dieta detox para emagrecer rápido

É uma crença comum que uma dieta detox é uma coisa que se faz apenas uma vez e dura de 24 horas a várias semanas. Mas não há nenhuma razão para não desintoxicar seu corpo de forma contínua. Isso faz sentido, já que você ingere toxinas todos os dias, até que elas se acumulem a ponto de causar problemas. Ao eliminar toxinas todos os dias você mantém seu corpo se sentindo bem, e reduz a chance de desenvolver grandes problemas por causa do seu nível de toxinas. Descubra aqui como fazer uma dieta detox com dicas simples e curiosas para o seu dia a dia.

Por que nem todas as receitas para emagrecer funcionam?

A resposta para a pergunta desse tópico é bem simples: a sua relação com a comida é emocional e não racional. Nós não comemos por lógica, mas por necessidade e vontade.

É justamente essa necessidade que faz com que algumas pessoas busquem por saídas mirabolantes sobre como emagrecer, sem necessariamente se relacionar bem com a comida.

Outro fator que também leva aos resultados drásticos dessas dietas é que a quantidade de calorias ingeridas é menor do que a quantidade de calorias gastas, mas sem uma ingestão correta de nutrientes.

Explicando melhor, essas dietas comerciais que prometem emagrecer rápido realmente fazem isso porque são muito restritivas, mas isso não significa que você está comendo bem e corretamente.

O resultado, no final do processo, é um emagrecimento maior em pouco tempo e em grande volume, mas sem agregar saúde para seu organismo. Consequentemente você não aprenderá a comer bem depois desse tempo e o corpo reage de forma contrária assim que a dieta é eliminada da sua rotina. O motivo? O que expliquei no primeiro parágrafo desse tópico: a sua relação com a comida é emocional e não lógica.

Suco Detox com Laranja

Hoje separamos receitas de sucos detox com laranja, confira:

Suco Detox com Laranja, Limão e Alface
Ingredientes
Suco de 2 laranjas-lima
6 folhas de alface
1 limão pequeno
½ copo de água

Modo de Preparo
Bata todos os ingredientes no liquidificador, coe e beba imediatamente.

Suco Detox com Laranja, Couve e Gengibre
Ingredientes
2 laranjas descascadas
3 folhas de couve bem lavadas
1 pedaço de gengibre
1 litro de água

Modo de Preparo
Corte a laranja em pedaços e retire as sementes. Depois coloque juntamente com os demais ingredientes no liquidificador e bata. Sirva bem gelado.

Suco Detox com Laranja, Cenoura, Couve, Maçã e Mamão
Ingredientes
1 copo (200 ml) de suco de laranja
1/2 cenoura média crua
4 folhas de couve-manteiga
1/2 maçã
1/4 de mamão papaia

Modo de Preparo
Bata todos os ingredientes no liquidificador. Coe e sirva em seguida.

Suco Detox com Laranja, Cenoura, Maça e Limão
Ingredientes
2 laranjas
4 cenouras
1 maçã
1 pedaço de gengibre
Suco de 1 limão
1/2 de copo (100 ml) de água

Modo de Preparo
Descasque as laranjas. Bata todos os ingredientes no liquidificador, coe se necessário, e sirva em seguida.

Suco Detox Rosa
Ingredientes
50 ml de suco de laranja
1 colher (sopa) de morangos picados
1 colher (sopa) de beterraba crua
1 colher (sopa) de goji berry
150 ml de água ou água de coco

Modo de Preparo
Bata todos os ingredientes no liquidificador. Adicione pedras de gelo e sirva.

Dúvidas Frequentes Sobre a Dieta Detox

Quais são os alimentos permitidos na Dieta Detox?
Chás, frutas, hortaliças, legumes, grãos, sementes, carnes magras, ovos caipira, castanhas, azeite, grãos integrais, água e sucos naturais.

Quais são os alimentos proibidos?
Alimentos industrializados, açúcar, embutidos, processados, massas, laticínios, defumados, carnes vermelha, farinha de trigo, café, alimentos que contêm glúten e bebidas alcoólicas.

Posso substituir refeições pelo suco detox?
Sim, porém isso deve ser acompanhado por um nutricionista.

Quantas vezes ao dia posso tomar o Suco Detox?
O ideal é 3 vezes por dia, de preferência em jejum, a tarde e a noite. Cerca de 1 litro.

Os ingredientes precisam ser orgânico?

Não é obrigatório, porém eles são os mais recomendados para sua saúde.

Posso adoçar o Suco Detox?

Não é recomendado, porém se sentir necessidade, opte por alternativas mais saudáveis como mel ou açúcar mascavo. Açúcar refinado e adoçantes devem ser evitados.

Posso tomar o suco durante as refeições?
Sim, sem nenhum problema.

Posso coar o Suco Detox?
Não é recomendo, pois assim ele perde as fibras.

Posso tomar o suco detox durante a gravidez?
Não é recomendado, para maiores informações, consulte seu ginecologista.

Posso tomar o suco durante o período de amamentação?
Não! O suco detox possui ingredientes termogênicos que aceleram o metabolismo e também o batimento cardíaco, por isso não é recomendado para quem está amamentando.

Pessoas com gastrite ou outros problemas estomacais podem tomar o suco detox?
Não é recomendado. Isso porque a maioria das receitas possuem alimentos cítricos que podem prejudicar quem sofre com esses problemas.

Posso tomar o suco detox junto com algum remédio para emagrecer?

Não é recomendado. Porém, se for fazer isso, procure orientação médica antes.

Dieta detox para desinchar

Dieta detox para desinchar

Muita gente pensa que alimentação detox é sinônimo de dieta radical, restritiva e cheia de ingredientes malucos.

A nutricionista Rosi Frizzo Feliciano esclarece: a detoxificação, ou simplesmente detox, é uma técnica da nutrição funcional cujo objetivo é ajudar o organismo a eliminar toxinas e outras substâncias prejudiciais à saúde.

“Com o padrão de vida atual, baseado em uma alimentação pobre em vitaminas e rica em hormônios, agrotóxicos, aditivos alimentares, açúcar, gordura e uso abusivo de medicamentos, estamos constantemente expostos a substâncias prejudiciais, que comprometem o bom funcionamento do corpo.”

Alimentos permitidos na Dieta Detox

O cardápio da dieta detox é completamente natural com chás, frutas, hortaliças, legumes, grãos, sementes, carnes magras, ovos caipira, castanhas, azeite, grãos integrais, água e sucos naturais. De preferência frutas, legumes e verduras orgânicas.

Alimentos proibidos na Dieta Detox

A ingestão de alguns alimentos durante a dieta não é aconselhável, dentre eles estão alimentos industrializados, açúcar, embutidos, processados, massas, laticínios, defumados, carnes vermelha, farinha de trigo, café, alimentos que contêm glúten e bebidas alcoólicas.

Essa é uma dieta muito utilizada em períodos pós festas, onde geralmente acabamos exagerando no consumo de bebidas alcoólicas e alimentos calóricos. E com seu poder desintoxicante, a Dieta Detox ajuda a eliminar as toxinas acumuladas em nosso organismo, que não são eliminadas naturalmente.

Perguntas Recorrentes

Leitoras do meu site me mandam e-mails frequentes com diversas perguntas, sendo estas relacionadas a dieta Detox, preparei uma lista com grande parte destas perguntas, veja a seguir:

Quais tipos de frutas e hortaliças possuem baixo índice glicêmico?
As frutas de baixo índice glicêmico são principalmente as frutas vermelhas e rochas (morango, blueberry, acerola, dentre outras). O açaí também possuí baixo índice glicêmico quando puro. Já as hortaliças todas possuem baixo índice glicêmico no geral: folhas (alface, acelga, couve, etc), couve-flor, brócolis. Elas também são ricas em vitaminas diversas que contribuem para um bom funcionamento do corpo e fibras para o bom funcionamento do intestino.

O Detox pode trazer quais benéficos para o organismo, além de melhorar o sono, o humor e o stress?
Um Detox com alimentos estratégicos alinhado com o que chamo de boa ciência do emagrecimento (estudos de elevado nível de evidência científica das maiores universidades do mundo) pode de fato trazer uma melhora no sono, humor, diminuição de stress, aumento dos níveis do nível de energia e disposição além de regular os hormônios que estão desregulados com a má alimentação atual.

O que está “limpeza metabólica” realiza no organismo?
A limpeza metabólica promovida por um Detox alinhado com a ciência dentro de uma alimentação estratégica basicamente regula os níveis hormonais melhorando o metabolismo. Para ficar mais fácil eu gosto de comparar nosso metabolismo com uma caixa dágua que está suja no começo. Com um detox correto ela desentope e a água volta a circular livremente, a pessoa perde peso, fica mais disposta, ganha energia, melhora o sono, dentre outros benefícios.

Quais os principais hábitos devem ser criados manter uma alimentação correta confirme o dia-a-dia?
O principal hábito é de manter o comprometimento com sua saúde. Não se trata só de emagrecimento, mas de prevenir doenças como diabetes e obesidade (que é doença). Evitar alimentos industriais, evitar farináceos de trigo (pães, massas), evitar refrigerantes e alimentos lights. Fazer atividade física também é muito importante.

Quais os piores alimentos que elevam a insulina no sangue? E quais a diminui?
Os que mais elevam são: farináceos de trigo (pão integral, comum, massas, biscoitos diversos), açucar (doces, sorvetes), alimentos lights (que contém açucares disfarçados como a maltodextrina), dentre outros. Os que diminuem a insulina no sangue são as gorduras saudáveis (óleo de coco, abacate, ovos, dentre outros) e também as proteínas de alto valor biológico (carnes, peixes, dentre outros).

Finalizando, a grande maioria das dietas detox são dietas para emagrecer, da moda, e não se sustentam.

Por outro lado já existem propostas em usar uma dieta detox que esteja alinhada com a boa ciência pra fazer uma limpeza metabólica inicial.Um detox que em seguida utiliza a alimentação estratégica para a manutenção da saúde, da perda de peso sustentável tornando possível emagrecer e permanecer magra ao longo da vida.

Agora, convido você a colocar em prática tudo que conversamos aqui!

Dieta detox o que comprar

Dieta detox o que comprar

A Dieta Detox baseia-se no consumo de frutas, hortaliças, água e suchás, misturas de sucos e chás. Seus seguidores acreditam que o consumo destes alimentos ajuda no funcionamento dos rins e fígado e com isso promove a eliminação de toxinas acumuladas no organismo. É recomendada para eliminar as toxinas adquiridas durante períodos de festas e eventos em que geralmente excessos são cometidos devido ao elevado consumo de bebidas alcoólicas e preparações calóricas.

Tempo de dieta detox: Pode variar de 1 a 2 dias, período em que somente líquidos são permitidos, ou até mesmo se estender por 1 semana.

Cardápio sugerido: Para no máximo 2 dias, a dieta detox prioriza o consumo exclusivo de líquidos, como sopas, sucos e chás que possuem efeito diurético e consequentemente favorecem a eliminação de toxinas através da urina. Ao seguir a dieta por 3 dias ou mais, recomenda-se a inclusão de alimentos sólidos como leite ou iogurte desnatado, filé de frango, peixe, frutas, legumes e verduras.

O consumo de água e água de coco também é estimulado durante a dieta, pois são responsáveis por manter o corpo hidratado e favorecer o equilíbrio de eletrólitos.

Quem pode fazer uma dieta detox

Se você tem sintomas como cansaço excessivo, insônia, dificuldade de digestão, mau funcionamento do intestino, excesso se gases, retenção de líquido, falta de concentração, dores de cabeça e dificuldade para perder peso, vale a pena experimentar a detox.

Benefícios da dieta detox

Para ajudar o organismo na tarefa de eliminar as toxinas, é preciso ingerir os alimentos corretos e abrir mão daqueles que prejudicam ainda mais o processo. “A dieta detox evita a entrada de toxinas e estimula a saída. Ela ajuda no bom funcionamento do intestino, que forma uma barreira e age como um filtro, impedindo que as toxinas cheguem ao fígado. Assim o fígado não fica sobrecarregado e consegue trabalhar da forma correta, fazendo com que as toxinas fiquem solúveis na água, para serem eliminadas”, explica.

Lista de alimentos

Alimentos proibidos: industrializados, farinha branca, açúcar, sal, café, carnes vermelhas, defumados, laticínios, embutidos, massas, bebidas alcoólicas e alimentos que contêm glútem. Também é recomendável não utilizar papel filme nem papel alumínio, descartar medicamentos que não sejam estritamente necessários, dormir bem, não se estressar, não fumar, evitar o uso do micro-ondas e de produtos de limpeza e cosméticos muito fortes.

Alimentos permitidos: frutas, legumes e verduras 100% orgânicos, grãos integrais, castanhas, sementes, leguminosas, ovos caipiras, azeite, óleos extra-virgens e chás. Além de beber muita água, sempre, e praticar exercícios físicos. “O ideal é fazer um período de desintoxicação entre sete e 10 dias. No início é natural que haja enjoo, acne, dermatite e dor de cabeça. Isso acontece porque há muitas toxinas saindo do corpo. Passada essa primeira fase, não é preciso ser tão radical, mas apenas manter a boa alimentação com moderação e equilíbrio”, afirma a nutricionista.

Suco Detox: Emagrece?

O excesso de frutose também acaba forçando o fígado a trabalhar bastante, convertendo parte dela em triglicerídeos, que acaba engordando e inflamando o seu corpo.
Por outro lado usar frutas de baixo índice glicêmico com algumas hortaliças (como por exemplo limão e couve) pode ter um efeito benéfico interessante e até ajudar o organismo a limpar o seu metabolismo.

A proposta da dieta detox de uma forma geral é à base de sucos e hortaliças e não existem critérios mais detalhados na associação dessas frutas com hortaliças (carboidratos fibrosos).
Então, concluindo: a dieta detox convencional pode até funcionar a curto prazo mas isso não resolve o problema, causando uma frustração ao tentar emagrecer com saúde e de uma forma definitiva.

Você precisa de uma alimentação que funcione no seu dia a dia e criar novos hábitos para manter essa alimentação ao longo da vida, que eu chamo de alimentação inteligente ou estratégica.

O Plano Detox

Programa de Emagrecimento e Manutenção de Peso através da Desintoxicação, é um método que trabalha com base na Alimentação Saudável e Desintoxicação do Corpo para destravar a Queima Natural de Gordura.

O método exclusivo foi desenvolvido por mim, Plano Detox Rosi Feliciano! Sou especialista em Emagrecimento e Perda de Peso através da boa alimentação e práticas Saudáveis!

Eu conseguiu emagrecer 43Kg em Apenas 6 meses, com esse programa! Ele também foi testado no meu marido, Michael, que eliminou 53Kg em Apenas 7 meses, e em 10.297 alunos que estão participando atualmente do método!

O que está incluído no Plano Detox?
Você terá acesso a um conteúdo valioso, com informações relevantes e certeiras, que foram reunidas após muitas pesquisas e estudos!

Guia Comece Por Aqui
Um Guia Passo a Passo que vai te explicar direitinho cada Etapa do Programa

Cardápio Ultra Detox
Cardápio montado e pronto para você começar a primeira etapa do método

Ebook Tudo Sobre Detox
Livro digital com as informações que você precisa ter conhecimento para ter sucesso no
emagrecimento

Tabela de Desintoxicação
Uma tabela para analisar o seu caso e determinar a gravidade da sua intoxicação

Tabela de Planejamento
Tabela simples para organização de todo o seu processo de perda de peso

Ebook 101 Receitas Detox
101 receitas para dar mais gostinho e prazer ao seu período durante o Plano Detox
Você encontrará no Plano Detox, passos simples e práticos que vão te guiar para a conquista do Peso Ideal.

O programa é divido em 04 etapas iniciais, seguidas pela etapa 05 que é o Ciclo Detox, que pode ser feito sempre que necessário.

Etapa 01 – Cardápio Ultra Detox
A primeira etapa do programa, é um cardápio de 14 dias, com alimentos detox estratégicos para uma SUPER desintoxicação.

Nesses primeiros dias, o corpo consegue eliminar uma GRANDE quantidade de substâncias que estão dificultando a perda de peso.

Etapa 02 – Tudo Sobre Detox
Na segunda etapa, teremos em mãos um conteúdo rico, com as mais relevantes informações sobre Desintoxicação.
Somente o que você realmente PRECISA saber sobre Detox está nesse livro digital.
São dicas fundamentais para se alcançar o peso ideal!

Etapa 03 – Tabela de Desintoxicação
Com essa tabela super prática e simples, será possível encontrar o número de dias que deve ser feito o seu primeiro Ciclo Detox.

Etapa 04 – Tabela de Planejamento
Depois de conhecer as informações necessárias (Tudo Sobre Detox), saber quantos dias deve durar o seu primeiro Ciclo Detox (Tabela de Desintoxicação), chegou a hora do planejamento.

Nessa tabela fácil você vai montar e organizar o seu primeiro Ciclo Detox.

Essa etapa é fundamental para evitar futuros “deslizes”!

O Ciclo Detox (Etapa 05)
Na última etapa, será colocado em prática o seu primeiro Ciclo Detox!

Tudo o que você planejou e programou com a ajuda das outras etapas, será colocado em prática aqui!

Nesse período você além de colocar em prática o que foi programado, seguirá também as recomendações do ebook Tudo Sobre Detox.

Quando terminar o período, caso seja necessário, você pode fazer novamente uma autoavaliação na Tabela de Desintoxicação, e iniciar um novo Ciclo Detox.

Você poderá fazer os Ciclos sempre que quiser e for necessário. Eu utilizo esse método até hoje, e sempre que é preciso, começo um novo Ciclo!

A cada novo ciclo, a queima de gordura é potencializada em nosso organismo, até que o objetivo de Emagrecimento seja alcançado!

No Plano Detox você também vai encontrar um livro digital com 101 Receitas Detox.

Esse ebook vai ser excelente para te ajudar a montar os seus ciclos e também a ter opções saudáveis e de baixa caloria para os seus períodos de pausa.

06 Bônus Incríveis do Plano Detox
Também estou disponibilizando (por tempo LIMITADO) 06 Bônus Incríveis para alavancar ainda mais o seu objetivo!

Bônus 01 – Ebook 20 Alimentos que Queimam Gordura
Nesse livro digital, você vai conhecer mais 20 alimentos poderosos, que você pode e DEVE incluir sempre na sua alimentação.

Use e abuse deles para acelerar a sua Queima de Gordura!

Bônus 02 – Ebook 20 Alimentos Poderosos Contra Doenças
Alimentos essenciais para uma vida mais longa e saudável. Você também deve incluí-los em suas refeições diárias SEMPRE!

Bônus 03 – Lista de Compras
Uma lista com opções diversificadas para sua alimentação, vai te ajudar e proporcionar mais organização na hora de ir as compras!

Bônus 04 – Ebook Detox na Manutenção de Peso
Muitas pessoas que conseguem alcançar o Peso Ideal, tem dificuldades para se manter lá.

Esse livro digital vai ser fundamental para você nessa fase, dando dicas e informações para evitar que você volte a engordar.

Bônus 05 – Ebook 35 Sucos Verdes Especiais
Você vai entrar nesse livro digital, 35 receitas de sucos verde para aliviar os sintomas de diversos problemas pontuais como: Retenção de Líquidos, TPM, Insônia, Falta de Energia e etc.

Bônus 06 – Grupo Exclusivo para Alunos

No Plano Detox você terá acesso a um grupo no Facebook Exclusivo e totalmente restrito somente para alunos. Lá você poderá ouvir e compartilhar sua experiência com pessoas que estarão passando pelo mesmo processo.

Como Participar do Plano Detox?
Todo o material do programa é digital, você terá acesso online aos ebooks e informações. Podendo acessar tudo no seu computador, tablet e celular!

O acesso a esse conteúdo é ETERNO, depois de adquirir você sempre vai poder ler as informações do programa e suas futuras atualizações.

Clique aqui para saber mais sobre o Plano Detox Rosi Feliciano.

Como criar uma página no Facebook para sua empresa

Como criar uma página no Facebook para sua empresa

As páginas no Facebook são importantes ferramentas de comunicação de uma empresa, projeto ou iniciativa com seus respectivos públicos. Na maior rede social do mundo, você pode ter uma página exclusiva e convidar usuários para receberem suas atualizações.

É possível criar páginas relacionadas a diversos conteúdos. Você poderá construir uma página para sua empresa com o objetivo de promover ofertas de seus produtos e serviços. Uma página artística de sua banda, por exemplo, poderá ser criada para compartilhar conteúdo com seus fãs. Se você é proprietário de um site, utilizar uma página para disseminar conteúdo na rede social é uma iniciativa interessante para aumentar o número de acessos.

O mundo está no Facebook!

Essa enorme capacidade de interação e a massiva quantidade de usuários ativos, faz do Facebook, um poderoso veículo para ampliar negócios, aumentar lucros e estar em contato diretamente com seu público. Ou seja, o mundo inteiro está conectado nessa rede, inclusive os seus potenciais clientes. E se todo mundo está lá, você também precisa marcar presença criando uma página para o seu negócio!

Como criar uma página no Facebook?

Todo o processo de criação de uma página oficial no Facebook é bastante simples. Certifique-se apenas de ter as informações básicas sobre seu negócio em mãos, já que seguiremos agora um passo a passo bem didático!

Passo 1: Acesse http://www.facebook.com/pages/create.php

Passo 2: Em “Criar uma página para”, escolha entre: “Negócio local”, “Marca, produto ou organização” e “Artista, banda ou figura pública”. Dentro dessas opções você poderá especificar a sua página, informando se o artista é um músico ou um humorista, por exemplo, e se o negócio é na área de educação ou saúde e beleza;

Passo 3: Dê um nome à sua página em “Nome da página”;

Passo 4: Confirme que você é “o representante oficial desta pessoa, deste banda ou deste produto”, só é possível criar a página se você for representante;

Passo 5: Clique em “Criar uma página oficial”. Você terá que confirmar a criação da página clicando em “Criar página”.

Depois desses cinco passos a sua página já estará criada no Facebook. Essa página é diferente do perfil normal, o usuário pode recomendar e comentar. O próximo passo é configurar a sua página oficial.

Passo 6: Carregue uma foto.

Passo 7: Clique em “Editar página”, uma segunda página com opções de configurações abrirá.
Em “configurações” você poderá definir restrições para o acesso da sua página. Além disso, ao clicar em “aplicativos” opções de vídeos, links, fotos, notas, críticas, eventos e quadro de discussões estarão disponíveis para escolha. Se você quiser descobrir como a sua página oficial está sendo vista, clique em “Todas as informações de página”, assim, será possível ver a interação dos fãs e o resultado de campanhas feitas.

Benefícios do Pilates na Terceira Idade

Benefícios do Pilates na Terceira Idade

De acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde) em seu documento “Envelhecimento ativo: Uma política de saúde”, uma atividade física regular e moderada reduz o risco de morte por problemas cardíacos em 20 a 25% em pessoas com doença do coração diagnosticada, além de reduzir substancialmente a gravidade de deficiências associadas à cardiopatia e outras doenças crônicas. Assim, o Método Pilates estaria enquadrado neste contexto para prevenção primária, secundária e terciária da saúde.

Os Principais Problemas da Terceira Idade

A maioria da população da terceira idade começa a apresentar falta de equilíbrio, involução motora decorrente do processo de envelhecimento bem como as disfunções e doenças que são vistas como causas da dificuldade ou incapacidade de manter o equilíbrio.

Este déficit de equilíbrio pode levar a queda, o que em pessoas idosas é uma causa crescente de lesões, custos de tratamento e morte. As conseqüências das lesões sofridas em uma idade mais avançada são mais graves do que entre pessoas mais jovens.

Esse déficit de equilíbrio não está apenas associado a questões neurológicas ou de labirinto. Em alguns casos está relacionado a questões posturais (deslocamento de centro de equilíbrio) posturas cifóticas/lordóticas, escolioses ou também a falta de alongamento muscular e força.

Essas alterações mudam a marcha dos idosos, que acaba tendo uma tendência de flexão de tronco por fraqueza dos músculos estabilizadores/extensores da coluna levando ao encurtamento de musculatura anterior, dificultando a marcha e trazendo ainda mais desiquilíbrio e insegurança.

Dentro da marcha os movimentos de perna também acabam sendo prejudicados. A ativação de músculos de flexão de quadril, extensão de joelho e doriflexão acabam enfraquecidos e encurtados aumentando tais quadros na população da terceira idade.

Nesse caso não estamos entrando em detalhes de tipos de marcha específicos ou marcha patológica, e sim características mais encontradas nos idosos, o que não é padrão. Tudo depende do encontrado na avaliação, assim como fraquezas, alterações posturais, instabilidades, déficts de equilíbrio entre outros.

Em consequência da fraqueza muscular e da falta de atividades, manter posturas sentadas e deitadas por um tempo prolongado levam ao aumento de posturas erradas da coluna e do encurtamento muscular.

Assim dificultam a flexibilidade e também a diminuição da massa muscular/tônus, deixando um idoso com um músculo mais flácido e fraco aumentando posturas erradas da coluna e limitando muitas vezes suas atividades por não ter resistência e força, levando a um ciclo ainda mais de inatividade nas pessoas de terceira idade.

Os Principais Benefícios do Pilates Para a Terceira Idade

Confira quais são os principais benefícios do pilates para a terceira idade.

Melhora da função ao caminhar

A capacidade em realizar diferentes movimentos da vida diária, principalmente a marcha, e melhorar a aptidão física é determinada pelo fortalecimento muscular adequado juntamente com a mobilidade articular que diminui o aparecimento de artrose, melhora da lubrificação articular e controle de possíveis dores. A mobilidade que o Pilates na terceira idade trás é fantástica.

Dor nas costas incapacitante no idoso

A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirma que 80% da população sofrerá pelo menos uma vez na vida algum episódio de dor nas costas, podendo ter como diagnóstico: protrusão discal, hérnia de disco, lombalgia, discopatia degenerativa, artrose, dentre outros.

Esse resultado é decorrência da falta de exercícios físicos específicos, posturas inadequadas e fraqueza muscular que causam instabilidade e dor na coluna vertebral, principalmente na região lombar e cervical.

Os exercícios de Pilates para idosos de ambos os sexos, apresentam uma importante contribuição no fortalecimento de musculaturas que protegem a coluna vertebral, como o transverso do abdômen, multífidos e paravertebrais que auxiliam numa melhor estabilidade da coluna vertebral e consequentemente reduzem as dores nas costas. Em consequência disso, a postura é melhorada, trazendo melhor alinhamento corporal, o que proporciona maior segurança no caminhar.

Prevenção de quedas

Os exercícios do método Pilates na terceira idade oferecem outras vantagens incluindo mobilidade na coluna vertebral e articulações, melhora da propriocepção, equilíbrio e treinamento de coordenação. Idosos que incluírem exercícios baseados no método Pilates serão beneficiados na realização de suas atividades diárias, com segurança nos movimentos, maior percepção do corpo, melhor sustentação dos membros e assim, prevenir instabilidades que levam às quedas.

Outros benefícios

Com a prática do Pilates na terceira idade, é possível obter um progresso de força muscular para prevenção problemas na coluna, tornando uma peça fundamental no pós-tratamento para coluna vertebral, além de manter os ossos mais fortes reduzindo os riscos de osteoporose, quedas e fraturas.

Outros benefícios que o Instituto Pilates proporciona é a conscientização postural junto à prática de exercícios físicos específicos associados ao equilíbrio, concentração e mobilidade articular encorajando-os a realizarem movimentos livres desde os mais simples até os mais complexos.

Como cuidar de uma orquídea que esta morrendo?

Como cuidar de uma orquídea que esta morrendo?

Sua orquídea está ficando amarela? Você desconfia que ela vai morrer? Então muita calma pois tudo tem salvação! Neste artigo eu vou te ensinar a cuidar dela e fazê-la voltar ao normal.

Antes de saber como recuperar a saúde da planta, nós precisamos saber quais são os principais motivos que fazem a sua orquídea morrer:

Exposição direta à luz

A exposição direta à luz solar causa queimaduras nas folhas da maioria das orquídeas. A condição de iluminação mais recomendada é a de 50 a 70% de sombra, que é obtida ao cultivar as orquídeas sob árvores, telados ou ripados. Varandas ou áreas de serviço de apartamentos também são bons locais, mas é preciso cuidado, nesses casos, para que as orquídeas recebam o sol da manhã.

Alguns especialistas afirmam que em apartamentos, os melhores lugares para as orquídeas são atrás da janela do banheiro ou um terraço envidraçado, onde há luz filtrada. Para saber se as condições de iluminação estão adequadas, é só observar a planta: folhas amareladas indicam excesso de luz; já as folhas estreitas, longas e de cor verde bem escura indicam iluminação deficiente.

Plantas como Vanda, Dendrobium, Cymbidium e várias espécies de Oncidium suportam luminosidade mais intensa, enquanto que Phalaenopsis, Miltonia, Laelia e Pumilan preferem baixa luminosidade.

Trocar de vaso

Mover a sua plantinha tristonha para um novo vaso pode fazer uma grande diferença. O principal é escolher um vaso maior do que o anterior, com cerca de 3 centímetros a mais na largura. Isso pode ser suficiente para fazer as raízes crescerem mais fortes.

Você está regando as plantas no horário mais quente do dia

Ao fazer isso, a planta sofre um choque térmico. O melhor horário para aguar o jardim é pela manhã, quando o sol ainda está ameno.

Cuidado com o Substrato

É a base onde as raízes vão se fixar. Apenas orquídeas terrestres a exemplo das espécies “rabo-de-tatu” e “palmeirinha” admitem areia como substrato. Para outras espécies, use casca de pinus, fibra de coco, carvão, brita, caroços da siriguela ousphagnum (tipo de musgo). Oideal é misturar três substratos: casca de pinus, sphagnume brita; ou carvão, fibra de coco e brita, por exemplo.

Adubação

A fórmula NPK (nitrogênio, fósforo e potássio) deve ser aplicada a cada duas semanas, na proporção de 1 colher (café) por litro de água, durante a primavera e o verão. A adubação pode ser suspensa nos meses do outono e inverno. Uma boa opção de adubação orgânica é a torta de mamona (1 colher de sobremesa por vaso), que pode ser fornecida uma vez ao ano, depois que o sistema radicular estiver bem desenvolvido.

Limpeza

Orquidários precisam estar sempre limpos. Retire folhas pretas, queimadas, tanto as que estão na planta como as que caíram. Isso evitará a contaminação por fungos.

Crie o efeito de uma estufa

Algumas espécies podem precisar de um ambiente mais úmido, como uma estufa. Para criar esse efeito individualmente na sua plantinha você pode colocá-la dentro de um saco plástico (sem apertá-la, claro). Mantenha assim por 4 ou 5 dias e veja se ela reage.

Você não considera a época do ano na frequência de regas

No inverno, como a evaporação da água na terra é menor, a quantidade de regas deve ser reduzida. No verão, o contrário. Para saber se a terra está seca, finque o dedo. Olhar apenas a superfície é arriscado.

Você não realiza as podas necessárias

A poda controla o porte e a forma das plantas. Galhos quebrados ou doentes devem ser retirados para dar vigor e melhorar o acesso de luz e ar à copa da planta. Ao cortar os galhos logo acima de uma gema –pequeno nó–, um novo ramo irá nascer. Caso deseje eliminar o galho todo, corte-o rente ao caule ou ao ramo maior. Folhas e flores secas também precisam ser retiradas, pois propiciam o surgimento de fungos.

Com estes cuidados a sua plantinha voltará ao normal e mais bela do que nunca!